30 dezembro 2010

Dias de Verão cap51

- O quê? Não, dinda, isso não pode acontecer!
- Não só pode... Como está acontecendo! - Conversa Kátia com Viviane.

Ana Isis desliga. Enquanto isso, Lyz e Gustavo têm uma discussão por causa de uma armação de Pedro:
- Hã? E de onde surgiram essas marquinhas de batom? E esse perfume super-feminino que eu odeio? E esses papeizinhos cor-de-rosa, e essas fotos? De mãos dadas... Não quis mostrar o rosto?
- Mas não fui eu, Lyz, eu juro! Eu nunca iria te trair!
- É mesmo? É o que todos sempre dizem, quando são pegos no flagra!
- Flagra? Que flagra? Não é minha essa mão, compara só!
- É, você tem razão! Já sei quem foi, Gu, já sei!
- Quem? Raaaaam... O, Pedro?
- Arrã. Nunca imaginei, mas a mão é idêntica! E parece com... Rum... A da... Silvana!
- Que Silvana? Quem é Silvana?
- A maior víbora de todos os tempos!
- É? Mas, que indivídua!
- Arrã.
Enquanto isso, Kevin, (ou Keké? Comentem e digam como querem que eu chame) e Carol passeiam no parque com Camila e dão de cara com Rafaell e Ana Isis.
- Olá. - Cumprimenta Kevin sem saber.
- Hum! - Diz Rafaell, confesso, parecendo mais a Ana Isis, do que Rafaell.
- Rafa, a gente não tem mais nada juntos, não precisa ficar assim. Aliás, foi você que causou tudo, e eu, ah, eu estou muito feliz ao lado do Keké.
- Que diabos de nome é Keké?
- É apelido, burro! E você, sabe. É um nome estrangeiro, europeu. Muito mais do que Rafaell. Ele se chama Kevin.
- Ah, belo nome! - Debocha, Rafaell.
Alessandra Carolina é surpreendida por um beijo (mais um amasso que um beijo, mais um susto que um beijo, mas um beijo) de Kevin.
- Ai, amor! Que susto! Mas eu adorei, faça isso sempre! - Debochou Carol.
- Pode deixar! Eu adoro dar sustos nas pessoas que eu amo, mas a Camila, é neném. Não pode tomar susto.
- Hã? Como você chama... A filha é minha.
- Pensasse nisso antes de atracar uma naja. Agora dá licença, que a minha família quer passar.
- Sua família. A sua familia somos eu, você e a Camila! Não esse tal de Keké, deve ser descendente de Keka, a bruxa Keka!
- Para, Rafaell! Nós éramos uma família. Agora, ainda bem que não estamos casados, senão seria separação litigiosa!
Ela sai marchando com Keké e Camila, e Ana Isis comenta (de maldade):
- Ainda bem que você tá comigo!
- É? Eu não acho! Eu era tão feliz e não sabia! Porque eu te agarrei, se nem gosto de você!
- Não gosta, burro, eu sei! Você me ama, como me disse, ontem.

- Disse, da boca pra fora!
- Quê? Cê tá terminando?

Xi, será que ele vai terminar com a chatonilda? Não sei... Vamos ver, né. Beijo, gente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente! O seu comentário faz a diferença, pois ele pode ajudar o blog a melhorar! Dê sua opinião. ;)